Publicidade
Publicidade
Araguaína, 22 de julho de 2014
CEM Paulo Freire fecha ensino noturno; Seduc justifica que havia pouca demanda
Fonte: AF Notícias - Da Redação - 01/02/13 09h04
Divulgação
Da Redação

Prestes a iniciar o ano letivo na rede estadual de ensino, alunos e professores do Centro de Ensino Médio Paulo Freire, em Araguaína, foram pegos de surpresa com a notícia de que não haverá mais ensino noturno na unidade.

O noturno atende principalmente jovens e adultos que, em decorrência de emprego ou outras ocupações, ficam impossibilitados de frequentar a escola nos períodos matutino e vespertino. Por esta e outras razões, os índices de repetência e evasão escolar são maiores no noturno, bem como prejudica os resultados nas avaliações externas. Conforme informações apuradas pelo AF Notícias, essa polêmica decisão pode ter sido tomada em concordância com a própria direção da unidade visando melhorar, e manter, os bons índices de aproveitamento internos e externos, principalmente no ENEM e Vestibulares. Para tanto, justificaria a medida de não ofertar mais o ensino noturno.  A reportagem tentou contato com o diretor Joaquim Rodrigues Alves Neto Nunes, deixou recado, mas ele não retornou a ligação para comentar o assunto.

A medida também não foi bem recebida pelos professores da unidade. Segundo eles, um documento já foi elaborado e encaminhado à Diretoria Regional de Ensino e Secretaria Estadual de Educação. Outra preocupação dos docentes é quanto à insuficiência de turmas para completar a carga horária, 40 horas/aula.

Nota oficial

Em nota enviada ao Portal AF Notícias, a Secretaria Estadual de Educação informou que o motivo do fechamento do ensino noturno se deve a pouca demanda de alunos. “O noturno não irá funcionar devido a pouca demanda de alunos, estes foram transferidos para o CEM Polivalente Castelo Branco”, afirma.

A medida ainda tem a finalidade de reduzir custos, segundo a Seduc. “Tendo poucas turmas não justifica os gastos para manter um turno em funcionamento”, disse a nota.

Outra polêmica

O fechamento de turmas no CEM Paulo Freire provocou uma mudança em outro Centro de Ensino Médio. Apesar das aulas se iniciarem na próxima segunda-feira (04), ainda há muitas indefinições nas escolas de Araguaína. Na tarde dessa quinta (31), os professores do CEM Castelo Branco receberam a notícia do fechamento das quatro turmas que funcionavam no turno vespertino.  Mais uma vez a justifica é o corte de gastos.  

Conforme argumentam os professores, a escolha dos pais e alunos de matricular-se no CEM Castelo Branco deve ser respeitada. “Vivemos em um país democrático. As pessoas são livres para escolher onde querem estudar. O Estado não pode fazer imposições mudando os alunos de escola e deixando-os mais longe de casa”, questiona professor Delan.

O Diretor Regional de Ensino de Araguaína, Jorge Luiz Medeiros, esteve na unidade de ensino comunicando a decisão e garantiu que os professores não terão prejuízos salariais. Segundo ele, os professores que não completarem sua carga horária em sala ficarão trabalhando em projetos na própria unidade de ensino. “O Governo irá manter a mesma carga horária do ano passado”, disse.

Ainda conforme os profissionais, uma manifestação já está prevista para a próxima segunda-feira, 04, juntamente com alunos, pais e professores.
 

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto: Ainda restam caracteres a serem digitados.
Comentários (8)
  • Jonas Cunha | 01/02/13 22h34 | Usuário identificado pelo IP 189.73.214.117.

    Há alguns anos os pais matriculavam seus filhos levando em consideração apenas a escola mais próxima. Hoje, muitos procuram as escolas melhores, conforme desempenho no IDEB, Enem, etc. Quando todas as famílias passarem a fazer assim não teremos mais espaços para maus professores.

  • João Dias Macedo | 01/02/13 21h38 | Usuário identificado pelo IP 189.73.214.117.

    Somente professores ruins e descompromissado com a educação se prestam a reclamar de uma proposta que visa desonerar a carga de trabalho em sala. Quantidade não é sinônimo de qualidade. O Castelo Branco tem bons professores, porém, alguns sindicalistas disfarçados de docentes aleijam a qualidade do ensino na escola. Alunos reivindiquem a substituição desses professores e não entrem na deles.

  • Joana Machado | 01/02/13 21h32 | Usuário identificado pelo IP 189.73.214.117.

    Comecem a abrir os olhos professores. As famílias começam a matricular seus filhos levando em consideração os indicadores das escolas. Escolas ruins, poucos alunos, escolas melhores, muitos alunos. Veja se o Modelo, Paroquia, Luiz Augusto, etc, estão faltando alunos.

  • Ana Cordeiro | 01/02/13 21h28 | Usuário identificado pelo IP 189.73.214.117.

    Falam que a mudança da carga horaria vai piorar os índices. Ora, por mais de vinte anos se trabalhou com o mesmo modelo e vejam só os índices. Sempre fomos os últimos do Enem. O governo tem mesmo que propor mudanças.

  • Paulo Mendes | 01/02/13 21h25 | Usuário identificado pelo IP 189.73.214.117.

    Na verdade os professores do Castelo Branco são uns baderneiros. Se não tem alunos é por que a qualidade do ensino é ruim. Veja o exemplo do Guilherme Dourado, está transbordando alunos.

  • João | 01/02/13 18h33 | Usuário identificado pelo IP 189.31.63.10.

    Convoque os alunos e professores, para se fazer presente e precionar o seu Roque, que se vendeu e agora vai anunciar a proposta do governo, vamos nos rebelar e não aceitar qualquer mudança na data base e exigir que o pagamento de outubro seja feito imediatamente agora em março. Chega de ser bonzinho com esse povo, não vamos aceitar a redução da carga horária, prejudicou diversos colegas efetivos.

  • Gláucia Peixoto | 01/02/13 13h43 | Usuário identificado pelo IP 189.75.97.99.

    Uma decisão como esta deveria no minimo passar por uma consulta popular e ser amplamente divulgada, mas nessa terra as autoridades já se habituaram a fazer as coisas na surdina e de maneira irresponsável.

  • Marcelo | 01/02/13 09h35 | Usuário identificado pelo IP 177.0.58.173.

    Acho que sua informação sobre os índices das turmas do noturno, esta equivocada; Não está batendo com a nossa realidade!! A reportagem da AF Notícias, deveria procurar a secretaria da escola e conferir os indicies reais!!!

Newsletter
Preencha o campo abaixo com um e-mail válido e receba as notícias do AF Notícias: